BB estuda quais medidas adotará em relação a desvios no mensalão

O Supremo Tribunal Federal (STF) liberou nesta segunda-feira (25) para o Banco do Brasil uma cópia integral do processo do mensalão. A instituição pediu acesso aos autos para verificar quais providências poderão ser tomadas em relação aos desvios de recursos no BB apontados pelo tribunal durante o julgamento da ação penal. O BB pediu uma cópia do processo na última quinta-feira (21). Segundo a assessoria, o banco quer analisar tudo o que foi decidido pelo Supremo em relação ao processo para avaliar o que pode ser feito. Entre as possibilidades está entrar com ação para reaver o que, segundo o julgamento, foi desviado pelo ex-diretor de Marketing Henrique Pizzolato.

O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi condenado pelo Supremo a 12 anos e 7 meses pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. O Supremo expediu mandado de prisão, mas Pizzolato fugiu para a Itália. Ele quer ter um novo julgamento na Justiça italiana. Pizzolato foi condenado sob a acusação de favorecer a agência de Marcos Valério, chamado de "operador" do mensalão e que tinha contrato de publicidade com o BB. Segundo os autos, R$ 73,8 milhões teriam sido desviados do Fundo Visanet (que tem recursos do BB) para a DNA Propaganda. Além disso, o valor de R$ 2,9 milhões de contrato entre o BB e a DNA teriam sido desviados do chamado "bônus de volume", comissão que, segundo entendeu o STF, deveria ser devolvida. O Supremo considerou que parte do dinheiro desviado foi aplicado no esquema de compra de apoio político no Congresso nos primeiros anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva.