5 conselhos para quem deseja abrir um negócio com o cônjuge

Muitos casais têm o sonho de ter um negócio próprio. O que é preciso considerar antes de iniciar um negócio com o seu marido ou com a sua esposa? “Tem que verificar se os dois querem a mesma coisa, pois é uma decisão que tem que ser tomada em conjunto, como o casamento”, afirma Sandra Fiorentini, consultora do Sebrae-SP.

Para a professora Rania Labaki, da Universidade de Bordeaux na França, um dos principais desafios de uma pequena empresa familiar está no possível enfraquecimento das relações familiares. Na semana passada, ela esteve presente na 3ª edição do Seminário Internacional de Empresas Familiares do Centro de Empreendedorismo e Inovação do Insper.

Veja quais são as recomendações para um casal que deseja abrir uma empresa.

  1. Tenha os objetivos alinhados

É um desafio ter uma rotina em comum dentro de casa e outra dentro de uma empresa. “É preciso ter regras bem definidas como se o outro sócio não fosse o cônjuge”, diz Sandra.

Expressar abertamente quais são os interesses no negócio é essencial para identificar quais sãos os valores comuns do casal. Rania conta que é preciso que ambas as partes saibam qual é o comportamento esperado necessário para alcançar as metas da empresa.

  1. Escolha bem o tipo de negócio

O casal precisa estar animado com a ideia do projeto e ter afinidade é imprescindível na primeira parte do processo. “A escolha tem que ser uma atividade que os dois tenham afinidade e que os dois gostem. Em seguida, eles devem fazer um plano de negócios”, ensina Sandra. Durante a elaboração do plano de negócios já é possível perceber quais são diferenças entre o casal que podem resultar em possíveis conflitos no futuro.

  1. Verifique qual o estilo do parceiro

Se um é mais workaholic e impaciente que o outro, a probabilidade do casal ter alguma desavença é alta. Uma comunicação eficiente é a chave do sucesso para se adaptar à personalidade do cônjuge. “Quando não há respeito, você não ouve o que o outro tem a dizer e não tem como compartilhar e discutir sobre a empresa. A probabilidade do negócio e do casamento dar errado é muito alta”, afirma Sandra.

Para Rania, é importante que as informações sejam trocadas abertamente e de forma que ambas as partes entendam.

  1. Divida as funções

Normalmente, empreendedores são centralizadores por natureza. “Geralmente, um é mais centralizador que o outro e com a falta de separação de funções, um assume tudo e reclama que a outra parte não faz nada”, explica Sandra.

Por isso, é recomendável que as funções sejam atribuídas de acordo com as aptidões de cada um. Entretanto, há situações em que o casal tem habilidades semelhantes. Nesses casos, é ainda mais importante definir quem é responsável pelo o quê.

  1. Programe um tempo para cada um

O início de uma empresa demanda muita energia e dedicação do casal. Sandra recomenda que os empreendedores conversem bastante no horário do expediente e tentem não levar assuntos da empresa pra casa.